03/09/2015

[Resenha] Entre O Amor e A Vingança – Sarah MacLean

Oiii amores!

Semana de bienal do livro aqui no Rio, então a resenha dessa semana saiu mais cedo, já que sexta (que é o dia da resenha aqui no blog, anota aí na sua agenda!) e sábado eu devo estar por lá o dia todo. Já imaginou? #tudoDeBom

Mas voltando a resenha da semana, vamos falar sobre Entre O Amor e A Vingança, livro 1 da série O Clube dos Canalhas, da autora Sarah MacLean. Um romance de época que me deixou….dividida…durante toda a leitura.

Entre o Amor e A Vingança - Capa

Pois é… Minha versão está em inglês, porque eu já tenho (e li) esse livro faz um tempinho.

Sinopse:

O que um canalha quer, um canalha consegue…

Uma década atrás, o marquês de Bourne perdeu tudo o que possuía em uma mesa de jogo e foi expulso do lugar onde vivia com nada além de seu título. Agora, sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, o frio e cruel Bourne quer vingança e vai fazer o que for preciso para recuperar sua herança, mesmo que para isso tenha que se casar com a perfeita e respeitável Lady Penélope Marbury.

Após um noivado rompido e vários pretendentes decepcionantes, Penélope ficou com pouco interesse em um casamento tranquilo e confortável, e passou a desejar algo mais em sua vida. Sua sorte é que seu novo marido, o marquês de Bourne, pode proporcionar a ela o acesso a um mundo inexplorado de prazeres. Apesar de Bourne ser um príncipe do submundo de Londres, sua intenção é manter Penélope intocada por sua sede de vingança – o que parece ser um desafio cada vez maior, pois a esposa começa a mostrar seus próprios desejos e está disposta a apostar qualquer coisa por eles…

…até mesmo seu coração.

Entramos na vida de Bourne em um momento crítico. Ele tem vinte e um anos e acabou de perder todo seu patrimônio em um jogo de cartas, para ninguém menos do que seu próprio tutor. O marques perdeu os pais na adolescência e desde então o visconde de Langford foi responsável pela administração de sua herança. Ele aumentou em muito o patrimônio de Bourne e acha injusto que agora que é maior de idade ele simplesmente se aposse dos lucros. Bourne é humilhado e deixado na rua da amargura e um coração cheio de ódio e desejo de vingança.

Não aposte aquilo que você não está disposta a perder, querida.

Terceira regra do jogo.

O tempo passa e vamos conhecer a doce e sonhadora Penélope. Ah, Penélope é realmente uma dama da sociedade perfeita. Pena que anos antes ela teve sua reputação arruinada por um noivado desfeito. Isso infelizmente mancha a vida de uma jovem e a de sua família. Ela tem mais quatro irmãs que sofrem até hoje por isso. A consequência é que Penélope tem vinte e sete anos e já é considerada uma solteirona, para desespero de seu pai.

Ela não desviou o olhar até ele ter virado em direção a estrada principal.

Ele sabia porque a estava observando também.

Ela tinha sido sua amiga.

Quando ele ainda acreditava nos amigos.

Após o termino desse noivado, que era com ninguém menos que um Duque, nossa heroína recebeu apenas algumas outras poucas propostas de casamento durante os anos. De homens que não a viam como uma futura esposa, mas sim como uma forma de enriquecer já que seu dote é muito generoso.

Mesmo assim ela continua solteira, então seu pai adiciona ao seu já gordo dote a propriedade de Falconwell. Que é nada menos que a propriedade secular que pertencia a família de Bourne. Nem me perguntem como essa propriedade foi parar nas mãos do pai de Penélope….

Penelope Marbury nunca havia sido beijada.

Até aquele momento.

O que era ridículo. Ela sabia disso.

Era 1831, pelo amor de Deus.

Ah! Acho que esqueci de mencionar a vocês que Michael, o marques de Bourne, Tommy, filho do traíra que roubou a herança de Bourne e Penélope eram os melhores amigos de infância. Pois é, a propriedade das famílias eram vizinhas e os três cresceram juntos.

E é aí que a historia esquenta, pois hoje, nove anos depois daquela noite fatídica, Bourne é um dos donos de O Anjo Caído, a mais procurada e exclusiva casa de jogos de azar de Londres. Ele hoje tem um patrimônio imensamente maior do que uma vez foi sua herança perdida. Só que isso não é suficiente para ele, pois Bourne ainda anseia por sua vingança e fará de tudo para reconquistar o que é dele por direito.

Isso significa que você me quer. Significa que, mesmo depois de todos esses anos, depois de tudo que eu fiz, depois de tudo em que me tornei, eu consigo fazer você me querer.

Imagina o que ele será capaz de fazer ao descobrir que a sua propriedade, Falconwell, faz parte do dote de Penélope?! Pois é….

Durante os capítulos do livro temos a troca de cartas entre Penélope e Bourne durante a juventude. É tão triste ver como os caminhos deles se distanciaram desde então. E pra mim era tão obvio que eles se amavam desde jovens! Esse foi um dos traços que eu mais amei no livro, a ideia (ideia porque não estou afirmando se aconteceu ou não… rsrsrs) do amor que nasce na infância. #amo

Por um longo momento, ele pensou que ela poderia recusá-lo, e ele se preparou para sua resistência, catalogando o número de clérigos que deviam o suficiente a ele e a O Anjo para casar uma noiva relutante.

No inicio da resenha eu falei que fiquei divida, e fiquei mesmo. Dividida entre gostar e detestar Bourne. As vezes eu entendia ele, mas em outras partes do livro era realmente impossível saber qual era a dele. Mesmo a narração sendo em terceira pessoa isso não ficou claro pra mim.

Se o seu oponente torna impossível para você perder, Penélope, você deve apostar.

Esse livro teve vários elementos diferentes, o primeiro foi que a tradução do titulo, na minha humilde opinião, ficou  tão boa quanto, senão melhor que, o nome original. (mandou bem, editora Gutemberg!) Tipo, durante toda a leitura eu não consegui ver um final feliz na historia. Ficamos realmente divididos entre o amor e o ódio que envolve os personagens.

E mesmo a autora nos contando quais são os pensamentos do Bourne, eu não conseguia sentir o que estava sendo contado. Então, pela primeira vez em muito tempo, eu não me apaixonei pelo herói….

Passada

Sim, amiga, você leu certo. A #blogueiraPiriguete aqui não atacou dessa vez. #todosChora

E para fechar o pacote de elementos diferentes dessa história, eu fiquei do lado da Penélope! Dá pra acreditar?

Eu, que sempre estou do lado do herói, dessa vez era #teamPenélope. (está me vendo ali com a camiseta, a sainha de pregas e os pompons?) Doía-me por ela sempre ter sido tratada como uma mercadoria de troca pelo pai e por todos os outros homens que fizeram parte da vida dela e por ver todas as suas escolhas sendo tiradas de suas mãos. Enquanto tudo que ela queria era um pouco “mais” da vida. Um casamento por amor, uma aventura… enfim… se você quiser saber se o livro tem ou não um final feliz, vai ter mesmo que ler, amiga.

Eu quero mais do que uma simples, adequada vida como uma simples, adequada esposa.

A série O Clube dos Canalhas é composta por quatro livros e cada um conta a história de um dos sócios de O Anjo.

Entre o Amor e a Vingança - Sara Maclean

A capa em português, igual a original. Mandou bem de novo, editora Gutemberg! *-*

Ah, pra não dizer que a #piriguetagemLiteraria passou tão longe assim, eu me interessei (e muito) por um dos sócios de O Anjo, o Cross, e fiquei mais do que feliz em saber que o segundo livro da série é justamente sobre ele. Obaaaaa! \o/

Entre O Amor e A Vingança

O Clube dos Canalhas, livro 1

 Sarah MacLean

Editora Gutenberg (no Brasil)

 Classificação: ★★★☆☆ (3)

Ficou curiosa? Tem Entre O Amor e A Vingança a venda em português aqui:

Livraria da Travessa  Livraria Cultura
Livraria da Folha Submarino

Amores, não esqueçam de me contar a opinião de vocês aqui em baixo, nos comentários. Fico toda alegrinha quando falo com vocês.

Bjos 1000!

Jaque

Jaque

Carioca, casada e apaixonada por livros. Lê de tudo, mas prefere romances.Totalmente Disney Freak, ama tudo que a Disney produz. O apertamento onde mora quase não comporta o tamanho do amor pelos livros (agora compra mais e-books), até porque, metade de mim ama ler e a outra metade está ali com um livro na mão.

"...as lost as Alice as mad as the Hatter"
Jaque

4 Comentários

  1. Renata says:

    Eu já tinha amado essa capa! E como sou louca por romances de época…enfim…..mas tenho que dar cabo nas minhas leituras pendentes, estou surtando com um monte de coisa que ainda não li
    bjs

    • Jaque
      Jaque says:

      Oiii Renata!
      Sabe que depois dos Hathaways, descobri que também amo romances de época?! Esse aqui da resenha é bem legal, é tipo O Príncipe dos Canalhas, que é lindoooo.
      Eu já passei dessa fase de surtar com leitura pendente, nem respeito mais a ordem. rsrsrsrs
      Bjos 1000!

    • Jaque
      Jaque says:

      Oiii Fernanda!
      Bom, tem algumas cenas hot, mas nada muito forte. Agora, eu diria que é livre para maiores de 15 anos. rsrsrs
      Bjos 1000!

Deixe um Comentário