23/02/2015

[Resenha] A Caminho do Altar – Julia Quinn

Oiiii Pessoas lindas!

Status da blogueira: Sentindo-se com o coração partido.

Preciso dividir com vocês que o inicio (…o final também) de A Caminho do Altar foi marcado por uma sensação de abandono horrível. Estou até agora me sentindo sem rumo com o fim dos livros dos Bridgertons. Eu sei que tem mais um livro com os segundos epílogos (Happily ever after, ainda sem tradução no Brasil)… Mas não é a mesma coisa. É o fim de uma era, pelo menos para mim.

Tia Julia, eu sei que você escreveu nove livros para essa série, mas é difícil dizer adeus. Então, eu peguei o livro (na verdade o iPad) com o coração pesado. Ainda bem que essa sensação passou assim que eu comecei a ler, porque ele já começa no meio da ação. Rsrsrsr (tudo bem… ela voltou algumas vezes durante o livro e no final ela voltou com força total….mas é a vida)

a caminho do altar 2

Meu sapatinho de noiva fazendo figuração….

Sinopse:

Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece.
O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la.
Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele?
A caminho do altar, oitavo livro da série Os Bridgertons, é uma história sobre encontros, desencontros e esperança no amor. De forma leve e revigorante, Julia Quinn nos mostra que tudo o que imaginamos sobre paixão à primeira vista é verdade – só precisamos saber onde buscá-la.

Esse livro conta a história do mais misterioso dos Bridgertons, o Gregory. Quem acompanha a série sabe que ele é o mais novo dos homens, e por isso, o que menos aparece nos livros (até menos do que a Francesca), por assim dizer, já que ele é muito novo para participar ativamente das histórias dos irmãos e também porque, durante a maior parte dos livros, ele está estudando em Eton. Bom… isso desconsiderando a vez em que ele derrubou o Duque de Hastings no rio, ainda no primeiro livro, quando tinha apenas doze anos.

Mas quem diria que o pequeno Gregory roubaria meu coração da forma que ele fez? Super me apaixonei por ele logo no epílogo.

“Ele a beijou com tudo o que tinha, com todo seu fôlego, com cada batida de seu coração. Seus lábios encontraram seu rosto, sua testa, suas orelhas, e durante todo o tempo, ele sussurrou seu nome como uma oração. Ele a queria. Ele precisava dela.”

Gregory Bridgerton pode ser definido como um romântico. Ele cresceu vendo os irmãos mais velhos se casando por amor, vendo a plena felicidade que todos eles encontraram e pensando: “é exatamente isso que eu quero para mim”. Então, agora com vinte e seis anos, Gregory sonha com a ideia do amor, de se apaixonar perdidamente por alguém e de viver para sempre ao lado da pessoa amada. Pessoas, sério, não tem como não se apaixonar perdidamente por um personagem assim. Não resisto a um homem apaixonado.

“Ela era dele. Eles pertenciam um ao outro. Ela sabia disso. Deus do céu, ela sabia disso.”

A história começa com o nosso herói (é assim que a Julia Quinn se dirige a ele, fofo) correndo pelas ruas de Londres na intenção de impedir um casamento. Ele entra na igreja, no meio da cerimônia, se declara para a noiva diante de trezentas pessoas e a pede em casamento no altar. Meu coração parou quando visualizei a cena. Esse é o prólogo.

a caminho do altar 3

Depois disso, voltamos no tempo dois meses para entender como o fofo do Gregory se coloca nessa posição. Estamos em Aubrey Hall, a ancestral residência de campo dos Bridgertons, onde Anthony, o Visconde Bridgerton mora com sua esposa, Kate. Por ser o irmão mais velho, Anthony foi para os mais novos como um pai. Coisa a qual Gregory lhe é muito grato. Kate está promovendo uma festa antes do inicio da temporada em Londres, e é nessa festa que Gregory se apaixona perdidamente por Hermione Watson. Ele se apaixona por ela antes mesmo de ver seu rosto, apenas por contemplar sua nuca. Foi mais do que amor a primeira vista e Gregory tem certeza de que esse é o sentimento que ele esperou sentir a vida toda.

Ele simplesmente queria que ela fosse dele. Ele queria olhar para ela e saber. Saber que ela carregaria seu nome e teria os seus filhos e olharia apaixonadamente para ele todas as manhãs sobre uma xícara de chocolate quente.

Só que de acordo com Lady Lucinda (Lucy), melhor amiga de Hermione, todos os homens caem de amores por ela a primeira vista. Infelizmente, para o nosso herói, Hermione está apaixonada pelo secretário de seu pai. Lucy, que só quer a felicidade da melhor amiga, tenta ajudar Gregory a conquistá-la, pois sabe que os pais de Hermione nunca permitirão que ela se case com um simples secretário. É aí que Lady Lucinda se apaixona por Gregory. Só que Lucy está prometida em casamento, desde sempre, ao filho de um conde. Com a convivência (e diversos contratempos depois), Gregory se apaixona por Lucy. Ele percebe que o que sentia por Hermione nunca foi amor, pois o que sente por Lucy é mais forte do que tudo que ele imaginava.

“Sem você, eu não sou nada.”

Já Lady Lucinda, uma menina doce, que pensa de forma prática e gosta de ordem (ela tem certa obsessão com a arrumação dos seus sapatos no armário… rsrsrs), não acredita que o tipo de amor pelo qual o Gregory sonha possa algum dia acontecer com ela. Lucy é boa e tenta fazer tudo ao seu alcance para que as pessoas ao seu redor sejam felizes. Ela tem um lema: “pegue o que lhe é oferecido e faça com isso o melhor possível”.

 “...isso é tão ela. Querendo que todos sejam felizes. Experimente este. E se você não gostar, tente este aqui ou este ou este ou este outro aqui. E se não funcionar, fique com o meu.”

A história em si é emocionante, muito romântica, divertida e, como todo livro dos Bridgertons, deixa aquele gostinho de quero mais. Super entrou na minha lista de queridinhos.

Últimos livros de sagas têm pra mim um sabor nostálgico. É sempre encantador ver como estão ou o que aconteceu de novo com os outros personagens dos livros. No meu caso, foi uma sensação doce e triste ao mesmo tempo ler o ‘depois’ dos meus amados Bridgertons. É como ter notícia da vida de amigos muito queridos que você não vê há muito tempo. Tipo, nem preciso dizer que chorei no final, né?!

a caminho do altar 1

A Caminho do Altar é o oitavo volume da série Os Bridgertons, da diva Julia Quinn.

A Caminho do Altar

Os Bridgertons, livro 8

Julia Quinn

Editora Arqueiro

Classificação: ★★★★★ (5)
Também está se sentindo abandonada pelos Bridgertons, amiga? Conta pra mim aqui em baixo…
Bjos 1000!
Jaque

Jaque

Carioca, casada e apaixonada por livros. Lê de tudo, mas prefere romances.Totalmente Disney Freak, ama tudo que a Disney produz. O apertamento onde mora quase não comporta o tamanho do amor pelos livros (agora compra mais e-books), até porque, metade de mim ama ler e a outra metade está ali com um livro na mão.

"...as lost as Alice as mad as the Hatter"
Jaque

6 Comentários

  1. Letícia Romano says:

    Eu novamente haha, gosto muito do blog e das resenhas. Confesso que também estou sentindo uma dorzinha por saber que acabou, na minha opinião Julia se superou e fechou com chave de outro, os Bridgerton vão fazer falta!

    • Jaque
      Jaque says:

      Oiii Letícia, minha linda!
      Fico mais do que feliz por saber que você curte o blog! Mais uma vez, obrigada pelo carinho. *-*
      Ah, pelo menos ainda temos o livro com os segundos epílogos dos Bridgertons, Happily Ever After…

      Bjos 1000!

Deixe um Comentário